14 de fevereiro de 2011

antónio farinha


não sei o que dizer, ao certo, mas quero escrever para ti. partis-te á um ano e três meses. partis-te da maneira mais estranho,  inesperada, má, de uma maneira que ninguém esperava. todos sabemos que se partisses em cima de uma mota, partirias feliz, mas então e nós? nós não estamos felizes por teres ido, nunca! sei que não éramos muito próximos, mas éramos amigos o suficiente para sentir a tua falta. sabes que sinto a tua falta. que de vez em quando choro por ti. sabes que penso em ti, todos os dias. sabes que me recordo daquele dia e que nunca esquecerei. não te esquecerei nunca, ouvis-te?
no fim-de-semana fui a fátima. fui mas um dos objectivos que me levou a ir lá, foste tu. foi rezar por ti. foi acender uma vela por ti. se me ouvis-te sabes bem o que disse e o que prometi. 
antónio farinha, eterna saudade. 

3 comentários:

angélica disse...

obrigado (:
gostei muito do texto. é sempre dificil quando perdemos alguem de quem gostamos muito, mas é a lei da vida, podemos apenas guardar todos os bons momentos que passamos com essa pessoa, no nosso coração. e lembrar-nos sempre, que eles só vão embora, fisicamente. estarão sempre ao nosso lado, a olhar por nós. força *

angélica disse...

obrigado (:
gostei muito do texto. é sempre dificil quando perdemos alguem de quem gostamos muito, mas é a lei da vida, podemos apenas guardar todos os bons momentos que passamos com essa pessoa, no nosso coração. e lembrar-nos sempre, que eles só vão embora, fisicamente. estarão sempre ao nosso lado, a olhar por nós. força *

joana m. disse...

*.*